Teixeirinha

Veneno da Terra

Play

Veio o progresso destruiu as matas
E os passarinhos já foram embora
Os que não foram o veneno matou
Ai que tristeza o Rio Grande de outrora

Sei que o progresso é muito importante
Mas muita coisa ele também destrói
A natureza silvestre e saudável não tem mais
O coração me dói

Não vejo as águas dos rios e riachos
Tão cristalina como antigamente
Onde as espécies matavam a sede
E a natureza sorria pra gente

Veneno bravo do progresso louco
Poluiu tudo desgraçadamente
É muito lindo verduras plantadas
Ver os trigais, os arrozais também

Mas há na base do puro veneno
Então me diga que graça isso tem
Ganância triste querem plantar
Tudo por que não plantam só a metade

Preservem as matas e mãe natureza
Que dá saúde para humanidade
Como é que antes plantavam e colhiam
Sem o veneno não havia a fome

Por que um inseto combatia o outro
E não morria envenenado o homem
Mas gananciosos derrubaram as matas
E é só veneno que o povo consome

Quero a volta das verdes matas
Quero as espécies do animal nativo
Quero os peixes de águas puras
E também quero o progresso vivo

Quero o retorno dos passarinhos
Quero a pureza dos campos e da serras
Pra não matar o homem do amanhã
Não ponham mais veneno na terra

Quero que morra o cientista burro
E no caixão leve todo o veneno
Quero que nasça um cientista humano
Com outra química para o terreno
Vão se unir às matas e às plantações
E amanhecer molhados de sereno