Teixeirinha

A Bravura do Peão

Ganhei um boi de presente
Mas com uma condição
De laçar ele sozinho
E trazer pro mangueirão
Perguntei ao capataz
Me respondeu o patrão
Este boi nunca viu corda
O seu nome é serração
Já propus pra muita gente
Todos recusam o presente
Que eu dou de bom coração

Meu patrão se me permite
Eu aceito seu presente
Eu não sou pobre soberbo
Estou feliz de contente
O patrão mudou de cor
E me falou novamente
Encomende o seu caixão
Despeça-se dos parentes
Peça a deus que lhe abençõe
Porque os chifres deste boi
Tem matado muita gente

Acredito meu patrão
Só eu nunca fui marcado
O meu compromisso é grande
Vou lhe contar um bocado
Tenho cinco irmãos menores
Que vivem aos meus cuidados
Minha mãe ficou viúva
Só eu tenho sustentado
Ó senhora aparecida
Tenho de arriscar a vida
Pra dar conta do recado

Puxei meu cavalo preto
Acostumado na lida
Me fui invernada a dentro
De ninguém fiz despedida
Olhei pro céu acenei
Ó senhora aparecida
Se acaso o boi me matar
Cuide a minha mãe querida
Nisso o boi me viu e veio
Deu um mugido tão feio
Senti que perdi a vida

Mas quem tem fé na senhora
Aparecida brasileira
Levanta o laço com fé
Joga uma armada certeira
Antes que a história termine
Sua vida derradeira
O patrão vai ser meu sogro
Tem uma filha solteira
Me amou por não ser covarde
As duas horas da tarde
Prendi o boi na mangueira.

Play