Diego e Danimar

Novilha

Retirou o trinco da cancela
Dentro da fazenda do meu peito
Pos o teu sorriso na varranda
Descansou seu dorso no meu leito

Bebeu da água limpa do meu rio
Correu no verde pasto do meu campo
No gosto doce desse amor brioso
Quero galopar de novo
No teu corpo maravilha

Dentro da fazenda do meu peito
Eu preciso dar um jeito
De amansar essa novilha

A porteira do meu coração se abriu BIS
Ela entrou e nunca mais saiu

Nos mourões da cerca na colcheira
Tem um paixão que o vento espalha
Fere feito espora minha alma
Molha meuamor, chapéu de palha

Quero te encontrar nos meus encantos
Desfrutar nas sombras dos teus beijos
Gosto da emoção da tua boca
Me entreguei de rédea solta
Alazão, quarto de milha

Dentro da fazenda do meu peito
Eu preciso dar um jeito
De amansar essa novilha

A porteira do meu coração se abriu BIS
Ela entrou e nunca mais saiu

Play