Di Paullo e Paulino

Delinquente Juvenil

Amanhã mesmo vou sair deste lugar.
Eu vou pra ondeo meu coração mandar.
Vou deixar tudo, meus amigos, vou voar.
Quero meus sonhos, todos eles realizar.

Aponto em tudo e não tenho alvo certo.
Quero ser livre e andar de peito aberto.
Viver a vida, ser eu, e amar.

Por quê?
O Deus que lhe deu fortuna.
É o mesmo que me fez assim:
Um delinquente juvenil.
Num precipício profundo.
Num labirinto sem saída.
Sempre pedindo ajuda.
E ninguém ouve meu grito.

Sendo!!!
Que as mãos que lavam o rosto.
São as mesmas que lavam os pés.
E o santo que faz milagres.
É aquele que temos fé.
Mas eu sei não faz sentido.
Depender de quem não quer.

Play