Cia da Vanera

Surungo de Galpao

numa vanera a dor do braço eu me esparramo pela sala a bailar seguindo firme neste compasso
eternamente com a morena no pensar num fim de mundo este surungo eh o luzeiro e o candieiro eh o brilho do luar noite serena contilena do meu pago cordiona entrando nao demora eu vou pra la

*surungo de galpao de gaita e de violao cenario de atavismo e tradiçao
da luz de um candieiro ao som de um gaiteiro surungo que me alegra o coraçao"

o véu da noite antes da aurora ue prenuncia que o surungo se findou linda morena que foi embora deixou solito coraçao madrugador ronco de gaita alma de taita e polvadeira raça guerreira do rio grande um coraçao ca na cidade a saudade me golpeia a noite inteira num surungo de galpao

*surungo de galpao de gaita e de violao cenario de atavismo e tradiçao
da luz de um candieiro ao som de um gaiteiro surungo que me alegra o coraçao" 2x

Play