Chico Rey e Paraná

Um Poema Só

Amanheceu na mente do poeta
Raios de sol, orvalho sobre as flores
Os pensamentos vão fazendo festa
Entre emoções, recordações e dores

Velhas estradas, curvas e caminhos
Sombras que descansaram ilusões
É aconchego faz colo de manha
Acorde de viola deus em orações

Canta pra mim a canção de lá
Se é sonho enfim não quero acordar
Falo a você do céu que abriga
Sem perceber estrelas e vidas

Anoiteceu na mente do poeta
Sei no terreiro que tem lua cheia
É simples calma olhar caipira
Que de longe mira uma luz de candeia

Amor de filho quer benção de pai
Coisa que o tempo fez virar história
Da mão fechada não se vê a palma
Transparente a alma eternamente a glória

Canta pra mim a canção de lá
Se é sonho enfim não quero acordar
Falo a você do céu que abriga
Sem perceber estrelas e vidas

E em algum lugar que só deus sabe
Tem um tesouro que amando se ganha
É forte como a rocha do saber
Tão frágil que você só de olhar arranha

E ser poeta talvez seja isso
Falar do bem sem conhecer o mal
Amar a rima mesmo que não case
Terminar a frase sem ponto final

Canta pra mim a canção de lá
Se é sonho enfim não quero acordar
Falo a você do céu que abriga
Sem perceber estrelas e vidas

Eu falo a você da força maior
Que faz dos poetas uma poema só

Play