Chico Rey e Paraná

Espinho na Cama

Já é madrugada e o sono não chega

Me viro na cama pra lá e pra cá

Fumo um cigarro e outro cigarro
Sentindo a saudade no peito a queimar
Deito e me levanto, me levanto e deito
A noite pra mim é um martírio profundo
O Cinzeiro cheio de cinzas e bitucas
é a testemunha das noites de angústias
E eu não consigo dormir um segundo

As lágrimas roubam meu sono
No triste abandono do amor primeiro
Eu choro triste amargurado

Por que ao meu lado sobra um travesseiro

São noites de triste amargura
Só a desventura minha alma reclama

Sentindo a falta de alguém

Parece que tem espinho na cama

Sentindo a falta de alguém

Parece que tem espinho na cama

Play