Chico Rey e Paraná

Campos e Manhãs

Nos campos e manhã da minha terra
A vida modifica suas cores
Há sempre um fato novo a nossa espera
Há sempre uma historia e mil amores.
O sol que se levanta atrás da serra
Preguiçoso como a lua que dormiu
Garimpa entre vales verdejantes
Respinga nas folhagens diamantes
Gotejados dos sereno que caiu.

Olhai nas cordilheiras e colinas
Ipês floridos sobre a relva debruçado;
Olhai o gado manso nas campinas
Seguindo os berrantes compassados.
Olhai o elegante cavaleiro
Que no tira humildemente seu chapéu;
Ele tem fiel guia guerreira
Seu cavalo corta os campos tão ligeiro
Como a estrela desgarrada corta o céu.

Nos campos e manhãs da minha terra
A vida recomeça todo dia
Os sinos vão dobrando na capela
E as aves fazem festa e cantoria.
E a moça que aparece na janela
Tão bela como há tempo não se via
Despede para a vida que começa
E pensa no amor de alguém
Que prometeu que em breve voltaria.

Play