Carlos Galhardo

Sorris da minha dor

Sorris da minha dor, mas eu te quero ainda,
Sentindo-me feliz, sonhando-te mais linda
Escravo eterno teu, farei o que quiseres
Tens, para mim, a alma eterna das mulheres

No meu jardim viceja a flor da esperança
Meu pranto é meu amigo e a minha fé não cansa
Nas rimas dos meus versos cheios de saudade
És a flor, que se abriu para o meu amor

Aos teus braços, querida, ainda um dia
Terei o teu amor e os teus carinhos
E os dois aureolados de alegria
Seremos um casal de passarinhos

Tranquilos e felizes, sonharemos
Uma porção de sonhos venturosos
E aos beijos de eternal felicidade
Há de ser a nossa vida
Um rosal de ansiedades.

Play