Carlos Galhardo

Pecado Original

Vendo-te assim, quem diria
Que da lama eu um dia
Tirei-te por compaixão?

Era grande o teu sofrer,
Pois não tinhas pra comer
Nenhum pedaço de pão.

Com amor, dei-te o meu nome.
Quando matei tua fome,
Tua alma de mim sorriu.

Tens um sorriso que mata.
És a mulher mais ingrata
Que este mundo produziu!

Nosso amor tu destruíste,
Novamente preferiste
A escada do mal descer.

Mulher,
Lamento o teu fado.
Nasceste para o pecado
E nele hás de morrer!

Anda,
O teu destino te chama!
Não podes deixar a lama
Onde brota a flor do mal.

Segue
O teu destino rude
Não tens direito à virtude
Do pecado original!

Play