Carlos Galhardo

Fim de Estrada

Estou chegando ao fim da minha estrada
Sem nada pra deixar quando partir
No mundo quem não segue em linha reta
Não vive a vida, vegeta só com calço no porvir
Cansei de andar aos trancos e barrancos
E quero finalmente descansar
E antes que despontem os meus cabelos brancos
Eu vou a minha vida transformar

Para isso é necessário que você diga que sim
Para isso é necessário que você goste de mim
Eu deponho em suas mãos
Este resto de destino
Pois estando nos seus braços
Eu me sinto pequenino

Play