Carlos Galhardo

À Beira Mar

Pela janela da saudade
Olhas o mar ao sol-poente
E vai morrendo, longemente
Em teu adeus crepuscular
A voz do mar

E dentre a nebulosidade
A lua em pálido crescente
Parece ao meu amor
Ausente, onipresente,
Uma verônica estelar...

Oh! Meu amor
Oh! Minha dor, oh! Ânsia.
Do coração quebrado
Em mil carcérulas
Sacrificado, é sempre o mesmo na constância
Florindo lágrimas
Chorando, pérolas

Oh!, Meu amor
Oh!, Minha vida em hóstia
Na religião do coração em êxtase
Minha ventura é, nesse adeus crepuscular
À beira-mar
Poder sentir a vida e a morte em teu olhar

Play