Carlos Cezar e Cristiano

Vida de Peão

Recordando com saudade
Meu tempo de boiadeiro
Bateu forte no meu peito
A lembrança dos campanheiros
Recordei o ferrerinha
E também joão boiadeiro
Mais eu senti muita falta
Do irmão chico mineiro
E eu ali sentado
No banquinho do terreiro
Viajei em pensamento
No triângulo mineiro
Conduzindo uma boiada
Eu e mais três companheiros
Zé boi era o culatra
Chiquinho era o cargueiro
E zé vicente era o ponteiro

Boiada vida de peão
Saiu da estrada e hoje é lembrada
Em versos e canção

Saudade sonhos de peão
Boiada e viola já virou história
Na televisão

Veio também na lembrança
Minha traia de primeira
Veio na recordação
O menino da porteira
O preto de alma branca
E a moça boiadeira
Rosinha e catimba
Uma historia verdadeira
Vi o velho boiadeiro
No araguaia afamado
Um boi sendo consumido
E o ponteiro revoltado
O boi preto soberano
E o menino ali sentado
Nesse meu sonho bonito
Pedi a benção de cristo
Aos nossos heróis do passado

Boiada vida de peão
Saiu da estrada e hoje é lembrada
Em versos e canção

Saudade sonhos de peão
Boiada e viola já virou história
Na televisão

Play