Carlos Cezar e Cristiano

Menina da Favela

Quando a menina da favela do rochedo
Dominada pelo medo, do barraco desabar
Sai para fora e sente o vento em seus cabelos
Ela faz um novo apelo, para o vento n?o soprar
O seu vestido de peda?os de retalhos
? o simples agasalho, que o mundo recusou
O seu barraco de peda?os de madeira
? a prova verdadeira, que a menina precisou

O seu cabelo, ? beleza rara
O seu destino ? igual ao meu
Em minha casa est? faltando ela
Em seu barraco est? faltando eu

Igual a um ronco arrulhante no telhado
Ela v? o outro lado, de um mundo que n?o tem
V? no sonhar e sobrepeso a favela
V? a grade, v? a cela, e seu pai que nunca vem
V? o caminho, v? o vulto, v? o rio
V? o sol nascer comprido, e a nuvem tremular
A lua cheia o bras?o da esperan?a
Nasce dentro da crian?a, que a menina quer cantar

Play