Carlos Cezar e Cristiano

Doces Memórias

Ficou dentro de mim o gosto de fim
Porque, porque jamais vou rever meu lar
Meu céu e tudo o que deixei
O meu sol clareando o caminho
São memórias que eu guardei

Cai, sem parar dos, olhos meus
Pranto de dor que se fez adeus
Adeus

Hoje só restam, em mim doces memórias
Da flor, a tremular no pé de girassol
Da lua, do arco-íris verde, azul e outras cores
A brilhar, com o sol na cortina do arrebol

Cai, sem parar dos, olhos meus
Pranto de dor que se fez adeus
Adeus

Play