Boémia

Para outro lado de mim

Sei de um lugar desmarcado
Entre o abraço e o beijo
Onde de olhar repousado
Sinto veloz o desejo

Sei de uma fonte de vida
Que mata a sede à tristeza
Quando o teu corpo me abriga
E me devolve a certeza

E sei que a noite é mais densa
Quando a teu lado me deito
Fico de amores rarefeito
De sangue e efeverscência

E sei que a noite é mais densa
Quando a teu lado me encontro
Pés no chão, queixo ao ombro
Em vertical convergência

Sei de uma cor repousante
De singular melanina
Que trás à vida o brilhante
Da procura peregrina

Sei de uma ponte, passagem
Para outro lado de mim
Quando os teus olhos se abrem
E se revelam assim

Play