Boémia

O avançado e o guarda-redes

Cedo e a hora certa
Eu abro os olhos
Numa cidade inquieta
Que desperta do seu sono

Sigo lado a lado
Carro a carro
E um turbilhão de gente
Passa ao largo do seu sonho

Sigo rua fora
E vejo um amigo
"É bom reverte, digo
Mas já estou pra lá da hora

Firme alargo o passo
Que o encalço me causou
Dado ao embaraço
Dou por mim sem ser quem sou

Entre o avançado e o guarda-redes
Entre ser a espada ou a parede
Entre o que sonhei e o que restou
Eu já não sei quem sou

Chego ao tal emprego
Que eu adoro
Tal como ontem o olho
Pelo conforto e pelo sossego

De um patrão que sabe que me amolo
Para lhe forrar o bolso
E andar com ele ao colo

Duro é este fardo
E o cansaço que pousou
Dado ao embaraço
Dou por mim sem ser quem sou

Play