Banda C4

Maria Bonita e Lampião

Play

O flagelo das secas
A ganância e a sede do poder
A fome dos famigerados

A exploração dos fracos e indefesos
O sertão do subserviente
A Imposição dos irracionais

Satisfação dos senhores feudais...

Entregue a própria sorte
Lutando contra morte
Lutando para viver
Sem ter o que comer

A causa e o efeito
Num tinha outro jeito
Lutar pelo direito
Matar pra num morrer

Tempo...

No meio das andanças
Na Caatinga ô Mata branca
Em busca de um rio
No nordeste do Brasil

A raiz do umbuzeiro
A sede o desespero
A Arvore que da de beber
Pros jagunço num morrer

Lutar contra o sistema
s vezes dava pena
Num tinha o que fazer
Num podiam nos conter...

Tempo...

Os cabra vinham

Correndo da feira
Descendo a ladeira
Puxando a peixeira
Lá na ribanceira
Comendo poeira

Uma desgraceira...
Era matar pra num morrer...

Era tanta amargura no coração
Castigava a solidão
Sem o aconchego do lar
Sem ter a quem amar

Perdido na escuridão
Abrilhantava uma visão
Perto de Santa Brígida
Avistava a Maria...

REFRÃO.
Maria bonita e lampião, Sonho amor e paixão ...

Oito anos se passaram
Uma lenda se tornaram
E uma filha deixaram

Mais num dia meio sem jeito
Não tiveram nem um respeito
Pegaram eles de jeito

Entre Sergipe e alagoas
Mataram essas pessoas
Na bala e no facão
Uns home sem coração...

Mataram o lampião, Morria Maria bonita...

REFRÃO
Maria bonita e lampião, Sonho amor e paixão...