B57

Olhar atento

É o suor que escorre em pele fria
é o medo de parar para respirar
é tudo aquilo que eu disse um dia
que prende junto ao chão o meu olhar

São as promessas de dias de paz
o que nem vi mas que deixei para trás
são tardes frias de dias de sol
é o peito aberto e o golpe a receber

Olhar atento,
pra que temer?
Se nada é mesmo certo
melhor deixar acontecer
A frase certa e o pensamento ecoa
milhares de vagas recordações
sem saber o que é dor ou alegria
vou viver a alegria da noite
e esquecer a dor do dia