Arte Livre

Ponto de referência

Novamente por aí perambulando
Desolado á procura de você
Vejo luzes em um bar no calçadão
E depressa vou correndo pra ver
Vejo boêmios que me convidam a sentar
E fazer parte dos boêmios da tristeza
Dizem que são prisioneiros do amor
Mas se libertam dessa dor
Nas rodadas de cerveja
E entre um gole e outro
Ouço eles comentar
Das várias desilusões
Que tiveram que passar
E é o ponto de referência
Para quem sofre deste mal
De quem teve em sua vida
Uma paixão mal resolvida
Vem curar seu baixo astral

Play