Alvarenga e Ranchinho

Racionamento de Gasolina

A crise da gasolina
Já tem dado o que falar
Vou dizer argumas coisa
Que eu já pude obeservar
Quem andava de ortomóver
A gastar a gasolina
Pra mode o racionamento
Hoje vai é na botina

Com a farta da gasolina
Muita gente virou atreta
Hoje tão fazendo força
Andando de bicicreta
Quem tinha barriga gorda
Hoje tem barriga fina
Os cuitado tem sofrido
Com a crise da gasolina

Nosso povo é bem ordeiro
Vai se colocar na fila
Leve o tempo que levar
Güenta firme, não estrila
Eu também entrei na fila
Esperei um dia inteiro
Pois perciso gasolina
Pra ponhá no meu isqueiro

Os chofer que são casado
E namora nas esquina
Chega em casa atrasado
Diz que farto gasolina
Pra esses moço grã-fino
Perseguido de muié
Chegou a vez de dizer
Eu quero ver é à pé

Eu tô queimando as pestanas
Estudando um novo invento
O artomóve-jangada
Que será tocado a vento
Eu peguei arco motô
E ponhei no calhambeque
Ele saiu cambaleando
Ficou num baita pileque

Eu num ligo pra essa crise
Deixa os outros que se amole
Pois invês de automóve
Eu vô é andá de trole
Bem diz que o brasileiro
É povo que tem engenho
Em lugar da gasolina
Inventaro o gasogênio

Play