Alecir e Alessandro

Casa Dos Prazeres

Eu recordo ainda não faz muito tempo
Que cego de amor ouvi dos lábios seus
Leva-me contigo e serei honesta
Te respeitarei eu juro por Deus
Suas amigas morrendo de inveja
Ao vê-la sair daquele lugar
Ainda diziam que Deus lhe acompanhe
De mulher vulgar vai virar madame
Faça o impossível para não voltar

O caminho honrado é cheio de espinhos
Todo meu esforço foi tempo perdido
Pau que nasce torto sempre morre torto
E você não soube ter um só marido
Quem já conheceu a casa dos prazeres
Não consegue mesmo ser uma senhora
Volta novamente para o seu lugar
Onde muitos homens vão para comprar
A felicidade por algumas horas

E quando chegar a velha morada
Pra se desculpar diga que eu não presto
Pouco me importa se você mentir
Eu sei muito bem o quanto sou honesto
Por isso mostro-lhe a porta da rua
Esqueça que esse lar te pertenceu
Mesmo lhe amando me sinto obrigado
Vê-la voltando ao mundo do pecado
Pra vender o corpo onde sempre vendeu

Play