A Simetria

Dona Dos Prazeres

Dona dos prazeres, dama de uma paixão
Narcisista aflora a própria satisfação.
Todo o resto serve a sua soberania.
Pisoteia e sapateia e acha que vai ficar
Sempre pro mais fraco aguentar.
Ria embriagada pra não ter que chorar

Um dia vai ter que se olhar no espelho
Pra encarar toda a borroqueira que achou
Que era maquiagem. Se pintou de esmola,
Lavou os cabelos na água suja do rio
Pintou os seus lábios com mentiras de flor
O seu óleo perfumado é da criança o suor

E as canções não destoam.
Seus poetas tem os lábios trincados
Pelo frio do seu beijar

Acreditas que matando um dos teus cativos
Ou envenenando um ninho de barraco
Terás formula pronta pra enganar
O teu próprio reflexo diante do caos.
Mas é tua própria lagrima que vai reclamar
O borrar de um rosto falso quando a festa acabar

Play