A Odisséia Das Torradeiras Voadoras

Desabrigo

Senhor de vermelho
Abra o portão
Não me deixe aqui
Imploro permissão

Não quero mais relento
De onde veio essa água?

Meu caro hospedeiro
Tranca o portão
Deixa esse cabra
De joelhos no chão

Dá-lhe mais sofrimento
Longe leio essa mágoa